tf

A Terapia da Fala é a área responsável pelo rastreio, prevenção, avaliação, diagnóstico e tratamento da comunicação humana e perturbações relacionadas. A intervenção decorre no âmbito das patologias da fala e da linguagem, assim como das alterações relacionadas com as áreas da motricidade oro-facial, respiração, deglutição e voz. Neste contexto, a comunicação engloba todas as funções associadas à compreensão e à expressão da linguagem oral e escrita, assim como todas as formas apropriadas de comunicação não-verbal.

A equipa de terapeutas da fala disponibiliza um serviço de qualidade e personalizado que poderá ser realizado em contexto clinico, domiciliar ou educacional no caso de crianças. Sempre que necessário é realizado um trabalho multidisciplinar com outros profissionais, objetivando uma (re)habilitação que promova o máximo de qualidade de vida do doente.

Intervenção em Crianças

  • Atrasos / Perturbações da Linguagem

    A linguagem é uma função congnitiva e apresenta três componentes – forma, conteúdo e uso. A “forma” engloba: 1) fonologia (sons e respetivas combinações);  2) morfologia (Formação e estrutura interna das palavras) e 3) sintaxe (Organização das palavras na frase).

    O “conteúdo” abrange a semântica (Significado das palavras e interpretação das suas combinações). Por sua vez o “uso” diz respeito à pragmática (Uso e adequação da linguagem ao contexto).

    A perturbação de linguagem implica uma alteração em uma ou mais áreas linguísticas, não se prevendo o seu domínio completo. O atraso de desenvolvimento da linguagem (ADL) surge quando a linguagem (forma, conteúdo e uso) não surge na idade em que deve ocorrer e/ou verificando-se a permanência de certos padrões linguísticos caraterísticos de idades cronológicas anteriores. O Terapeuta da Fala intervêm em casos de alterações da linguagem de modo a estimular esta função.ós-traumáticos (entorses, roturas, etc.);

  • Afasia Infantil

    A afasia infantil é uma perturbação adquirida da comunicação provocada por uma lesão cerebral, caraterizada por dificuldades em falar, compreender, ler e escrever sem resultar de defeito sensorial, defeito inteletual ou defeito psíquico. Existem diferentes tipos de afasia que são estabelecidos de acordo com a localização da lesão e as características do discurso.

    Em crianças a recuperação parece ser mais favorável do que nos adultos, no entanto as sequelas a longo termos são frequentes. O Terapeuta da Fala é o técnico com  conhecimentos linguísticos e de comunicação que utiliza estratégias, técnicas e exercícios específicos e direccionados para a intervenção em casos de afasia.

  • Deficiência Auditiva

    A audição é um dos processos sensoriais utilizados na percepção da fala. A percepção da fala é a capacidade de reconhecer e compreender um sinal linguístico oral, e envolve componentes sensoriais e cognitivas. Apesar das crianças surdas terem capacidade cognitiva para desenvolver linguagem, a maturação linguística das estruturas corticais biologicamente inatas depende da estimulação auditiva. Nestes casos, o Terapeuta estimula a linguagem, fala e comunicação.

  • Deficiência Mental

    Funcionamento cognitivo inferior à média, independentemente da etiologia, e que limita a capacidade do indivíduo para aprender, tomar decisões lógicas, fazer escolhas, julgar, limitando desta forma a sua capacidade de auto-controlo e de relação com o meio.

    Como características gerais deste quadro surgem as alterações da comunicação; alterações motoras; apatia em relação ao meio; dificuldade em generalizar actividades em contextos diferentes; dificuldade em ser autónomo nas actividades da vida diária, sejam elas domésticas, de lazer, sociais ou profissionais.

    Em casos de défice cognitivo é favorável uma intervenção multidisciplinar com a colaboração de diferentes técnicos especializados, o Terapeuta da Fala é o técnico especializado para a intervenção em comunicação e linguagem.

  • Dificuldades de Leitura e Escrita

    A dislexia é uma das dificuldades de leitura e escrita mais comuns. A Associação Internacional de dislexia (2003) definiu a dislexia como: “Incapacidade específica de aprendizagem de origem neurobiológica. Dificuldades na correção e/ou fluência na leitura de palavras e por baixa competência leitora e ortográfica.

    Estas dificuldades resultam de um défice fonológico, inesperado, em reação às outras capacidades cognitivas e às condições educativas. Secundariamente podem surgir dificuldades de leitura reduzida que ode impedir o desenvolvimento do vocabulário e dos conhecimentos gerais”. Em conjunto com o psicólogo o terapeuta da fala realiza o diagnóstico de dislexia. Tendo por base um conhecimento fonológico por excelência, o terapeuta da fala é o responsável pela intervenção nesta perturbação.

  • Disfagia

    O termo disfagia refere-se a um sintoma relacionado com qualquer alteração no acto de deglutir que dificulte ou impossibilite uma ingestão oral segura, eficiente e confortável. A deglutição é um processo que implica uma sequência complexa de atividades neuromusculares coordenadas que tem como função levar o alimento ou a saliva da cavidade oral até o estômago. As disfagias podem ter inúmeras etiologias, assim as disfagias podem ser devido a causas neurológicas e causas mecânicas. O Terapeuta da Fala utiliza estratégias e técnicas específicas na reabilitação de disfagias.

  • Disfonia Infantil

    A disfonia consiste numa alteração da comunicação oral, na qual a voz não consegue cumprir o seu papel de transmissão da mensagem verbal e emocional de um indivíduo. A principal caraterística audível da disfonia infantil é uma rouquidão. Há muitas crianças que por gritarem demasiado, imitarem vozes de desenhos animados, ou que apresentem outros comportamentos vocais abusivos apresentam uma disfonia infantil. O terapeuta da fala utiliza estratégias e exercícios específicos que promovem uma adequação da qualidade vocal.

  • Fenda Lábio-Palatina

    São anomalias congénitas que ocorrem durante a fase de gestação. As fendas lábio – palatinas podem incluir os lábios, palato (céu da boca) e o parte posterior da boca. Estas fendas acarretam inúmeras dificuldades/ alterações em diferentes áreas – alimentação, fala (articulação), comunicação, voz, respiração, socialização, entre outras. Compete ao terapeuta da fala avaliar, aconselhar e intervir em casos de fendas lábio – palatinas juntamente com uma equipa multidisciplinar.

  • Gaguez

    O que é a  Gaguez

    A gaguez é uma perturbação da comunicação caraterizada por interrupções involuntárias no discurso. Estas interrupções consistem em repetições, bloqueios ou prolongamentos que podem ser acompanhadas de comportamentos secundários (movimentos do corpo) e tensão. Podem existir sentimentos de frustração, inferioridade, perda de controlo, entre outros (Guitar & Conture, 2006).

    Fatores responsáveis pela gaguez

    • Fatores genéticos
    • Fatores ambientais
    • Fatores Neurofisiológicos

    Disfluência Normal do Desenvolvimento

    Quando as crianças começam a gaguejar, o que normalmente acontece entre os 2-4 anos, surge frequentemente a dúvida acerca do encaminhamento para a terapia da fala. De facto, a gaguez pode ser passageira, ocorrendo assim uma remissão espontânea. Esta gaguez é chamada de “Disfluência Normal do Desenvolvimento”. As crianças tendem a fazer repetições e hesitações sem ser observado esforço físico a nível da face e do corpo. Contudo, é necessário ter em atenção alguns Fatores de Risco que nos indicam se a criança apresenta ou não uma probabilidade alta de remissão espontânea.

    Fatores de Risco

    • Género (a proporção de ocorrência de gaguez é de 1 rapariga para três rapazes) – Imagens 1 F e 1 M
    • Ter um duração superior a 6- 12 meses
    • Antecedentes familiares com historial de gaguez
    • Surgir após os 4 anos de idade
    • Temperamento
    • Dificuldades linguísticas e de articulação

    Tratamento

    O Diagnóstico e tratamento da gaguez diz respeito ao Terapeuta da Fala. Existe uma variedade de abordagens terapêuticas para crianças, jovens e adultos que são selecionadas em conjunto com o utente. O tratamento é um processo conjunto em que o utente e seus familiares têm um papel ativo. Quanto mais precoce for a intervenção, maior a probabilidade de sucesso.

    Na Fisio S. Brás existe a possibilidade de tratamento através de videoconferência. A idade mínima para estes tratamentos é de 14 anos. Esta modalidade não substitui na totalidade o tratamento presencial. Continuam a ser necessárias sessões presenciais, ainda que com menor frequência.

  • Perturbações Articulatórias

    A articulação é um termo frequentemente utilizado para descrever a fala de um indivíduo. A perturbação articulatória surge quando o padrão articulatório da criança está alterado em relação ao padrão adulto e já não é esperado  numa determinada idade cronológica. O Terapeuta da Fala utiliza estratégias e técnicas específicas na intervenção de perturbações articulatórias.

  • Perturbações do Espectro do Autismo

    O autismo é uma perturbação do neurodesenvolvimento de causa genética complexa.  O autismo não é uma condição de tudo ou nada, ao contrário, é visto como uma extensão que vai do grau leve ao grave– espectro do autismo. Um indivíduo com autismo ou com uma perturbação no espectro do autismo tem um conjunto de disfunções caraterísticas nas áreas da interação social, da comunicação (verbal e não verbal), bem como alterações no comportamento (ex: resistência à mudança; maneirismos motores; respostas atípicas às experiências sensoriais). As principais áreas de intervenção em perturbações do espectro do autismo são a comunicação e linguagem.

  • Sindrome de Down

    Na criança com Síndrome de Down, verifica-se um défice mais marcado ao nível das competências linguísticas, relativamente a outros aspetos do desenvolvimento. Em particular são descritos problemas no domínio da fonologia (sons) e da morfossintaxe (construção fráscia) e uma forte discrepância entre o desenvolvimento da produção e da compreenão, com maior desenvolvimento destes últimos. O Terapeuta da Fala é o técnico que intervêm nas áreas da linguagem e comunicação.

Intervenção em Adultos

  • Afasia

    A Afasia é uma perturbação adquirida da comunicação provocada por uma lesão cerebral, caracterizada por dificuldades nas modalidades da linguagem: falar, compreender, ler e escrever sem resultar de defeito sensorial, defeito inteletual ou defeito psíquico. Existem diferentes tipos de afasia que são estabelecidos de acordo com a localização da lesão e as características do discurso. O Terapeuta da Fala é o técnico com conhecimentos linguísticos e de comunicação que utiliza estratégias, técnicas e exercícios específicos e direcionados para a intervenção em casos de afasia.

  • Afonia por Laringectomia

    Através da Laringetomia são removidas as estruturas responsáveis pela produção do som laríngeo. Estacirurgia é comum no caso de tumores laríngeos, muitas vezes causados por hábitos tabágicos. Após a cirurgia o utente perde a capacidade de comunicar através da fonação (não existe a fonte sonora laríngea), assim a comunicação é limitada devido à ausência da laringe. Após a cirurgia a comunicação pode ser realizada através do gesto, escrita, fala murmurada e voz esofágica. As principais alterações após Laringectomia centram-se na respiração, fonação, alterações de paladar, de olfacto, imagem pessoal e comunicação. O Terapeuta da Fala intervêm no pré e pós operatório, juntamente com equipa multidisciplinar.

  • Apraxia do Discurso

    Caracteriza-se por um défice no planeamento e sequenciação do movimento, resultante de uma lesão no Sistema Nervoso Central.  Este défice pode afetar qualquer sistema que requeira sequências de movimentos musculares precisas. A força e coordenação dos músculos estão intatas. A apraxia do discurso carateriza-se pela dificuldade em realizar consistentemente a produção dos sons da fala. Os “erros de “fala” apresentados numa apraxia do discurso são distintos dos produzidos por uma alteração neuromuscular – disartria – ou alteração de linguagem – afasia”. A intervenção do Terapeuta da Fala nestes casos, incide na linguagem.

  • Alzheimer

    A demência carateriza-se por uma deterioração progressiva e em geral lenta das funções congnitivas. A demência do tipo Alzheimer é progressiva e resulta na perda de função congnitiva. Os sintomas clínicos associados a esta doença incluem: perda de memória, perturbações de linguagem, alteração das capacidades espacio-visuais e alterações comportamentais. o Terapeuta da Fala, em conjunto com equipa multidisciplinar intervém a nível cognitivo/linguístico.

  • Deficiência Mental

    Funcionamento cognitivo inferior à média, independentemente da etiologia, e que limita a capacidade do indivíduo para aprender, tomar decisões lógicas, fazer escolhas, julgar, limitando desta forma a sua capacidade de auto-controlo e de relação com o meio.

    Como características gerais deste quadro surgem as alterações da comunicação; alterações motoras; apatia em relação ao meio; dificuldade em generalizar actividades em contextos diferentes; dificuldade em ser autónomo nas actividades da vida diária, sejam elas domésticas, de lazer, sociais ou profissionais.

    Em casos de défice cognitivo é favorável uma intervenção multidisciplinar com a colaboração de diferentes técnicos especializados, o Terapeuta da Fala é o técnico especializado para a intervenção em comunicação e linguagem.

  • Deficiência Auditiva

    A audição é um dos processos sensoriais utilizados na percepção da fala. A percepção da fala é a capacidade de reconhecer e compreender um sinal linguístico oral, e envolve componentes sensoriais e cognitivas. Apesar das crianças surdas terem capacidade cognitiva para desenvolver linguagem, a maturação linguística das estruturas corticais biologicamente inatas depende da estimulação auditiva. Nestes casos, o Terapeuta estimula a linguagem, fala e comunicação.

  • Demência

    A demência caracteriza-se por uma deterioração progressiva e em geral lenta das funções congnitivas. A demência do tipo Alzheimer é progressiva e resulta na perda de função congnitiva. Os sintomas clínicos associados a esta doença incluem: perda de memória, perturbações de linguagem, alteração das capacidades espacio-visuais e alterações comportamentais. o Terapeuta da Fala, em conjunto com equipa multidisciplinar intervém a nível cognitivo/linguístico.

  • Disfagia

    O termo disfagia refere-se a um sintoma relacionado com qualquer alteração no acto de deglutir que dificulte ou impossibilite uma ingestão oral segura, eficiente e confortável. A deglutição é um processo que implica uma sequência complexa de atividades neuromusculares coordenadas que tem como função levar o alimento ou a saliva da cavidade oral até o estômago. As disfagias podem ter inúmeras etiologias, assim as disfagias podem ser devido a causas neurológicas e causas mecânicas. O Terapeuta da Fala utiliza estratégias e técnicas específicas na reabilitação de disfagias.

  • Disartria

    É uma perturbação motora da fala resultante de alterações no controle muscular dos mecanismos envolvidos na produção oral decorrentes de uma lesão no sistema nervoso central ou periférico. Há diferentes tipos de disartria, as características podem variar dependendo do comprometimento neurológico.

    As principais caraterísticas fisiológicas são: alterações da força, velocidade, amplitude, tónus, precisão, firmeza dos movimentos musculares. As principais caraterísticas comunicativas são: alteração da altura tonal, intensidade, qualidade vocal, ressonância, suporte respiratório e articulação.

    A disartria não resulta de alterações estruturais, anatómicas, perdas sensoriais (ex: surdez) ou perturbações psicológicas/psíquicas. O Terapeuta da Fala realiza um trabalho de intervenção ao nível da fala e comunicação.

  • Gaguez

  • Paralisia Facial

    A paralisia facial é uma alteração neurológica que afeta apenas um lado da face, deixando a pessoa com alterações na expressão facial. Esta alteração pode ser decorrente de Acidente vascular cerebral, traumatismo cranioencefálico, medicação, entre outros. Em casos de paralisia facial é favorável uma intervenção multidisciplinar com a colaboração de diferentes técnicos especializados (nomeadamente o Fisioterapeuta), sendo o Terapeuta da Fala o técnico especializado para a intervenção a nível da funcionalidade.