O seu filho distrai-se muito?

O seu filho distrai-se muito?

Um elemento essencial para o bom desenvolvimento da criança a nível escolar, bem como social e ocupacional, é a capacidade de manter a atenção por períodos de tempo que vão aumentando progressivamente. Quando se verifica dificuldade em manter a atenção, a criança não consegue reter a informação, o que se reflete em dificuldade de aprendizagem e consequente dificuldade em completar tarefas, como fazer uma cópia, cortar com a tesoura, atar os atacadores, etc. Quando o défice de atenção é atenuado, a criança passa a ser capaz de assimilar informação com maior facilidade e, assim, desempenhar tarefas mais complexas.

Muitas famílias apresentam queixas de que os filhos são muito desastrados, inquietos, com falta de atenção, preguiçosos… E quando começam a frequentar a escola? É nesta altura que começa a ser evidente a dificuldade das crianças em manter a atenção por longos períodos de tempo!

Várias são as causas que podem estar na origem do défice de atenção e, neste sentido, é importante que se faça uma avaliação adequada. Este pode ser influenciado por: alteração da percepção visual (que poderá refletir-se, por exemplo, na dificuldade em copiar do quadro, em reconhecer formas e letras e, por sua vez, na falta de motivação face à escola e baixa auto-estima), disfunção do processamento sensorial (dificuldade do cérebro em usar a informação recebida pelos sentidos para conseguir funcionar eficientemente nas atividades diárias) ou devido a um diagnóstico mais específico.

Para além disto, é necessário compreender se o défice de atenção se verifica apenas na escola ou também noutros contextos. Em casa, a criança mantém-se sentada à mesa durante as refeições? É necessário repetir-se constantemente até que faça o que lhe é pedido? E na escola? A professora refere que a criança não presta atenção ao que lhe é dito? Passa grande parte do tempo a levantar-se do lugar? Tem baixo rendimento escolar?

Como forma de dar resposta às necessidades da criança (e dos pais!), a Terapia Ocupacional baseia a sua intervenção nos componentes físicos, cognitivos, sociais e sensoriais da criança, oferecendo um espaço controlado que permita trabalhar as competências em défice e que poderão ser as causas para a dificuldade em manter a atenção que muitas vezes se verifica em idade escolar.

O envolvimento da família e da escola são fundamentais para o sucesso do processo de intervenção, como tal, o papel do Terapeuta Ocupacional passa também por fornecer estratégias práticas aos pais e professores, de modo a facilitar o desempenho da criança nos seus dois principais contextos – casa e escola! Deste modo, se o filho tem dificuldade em manter a atenção, contacte um Terapeuta Ocupacional e esclareça todas as suas questões.

Marque o rastreio gratuito (+351) 289 845 131 | www.fisiosbras.com

Marta Cabrita

Terapeuta Ocupacional