Integração Sensorial, do que falamos?

Integração Sensorial, do que falamos?

Alguma vez ouviu falar de Integração Sensorial? Quando falamos de Integração Sensorial, falamos inevitavelmente de sensações. Desde sempre que conhecemos os 5 sentidos do nosso corpo: a visão, a audição, o olfato, o paladar e o tato. Contudo, para além destes 5 sentidos, existem outros 2 muito importantes para o nosso dia-a-dia: o sistema vestibular e o sistema propriocetivo.

Todos estes sentidos recebem a informação sensorial conduzindo-a até ao cérebro que recebe e processa a informação e, sem seguida, gera uma resposta.

Mas o que será que fazem de tão importante os nossos sentidos?

Conseguimos facilmente descrever a visão, o olfato e o paladar e percebemos a sua importância. Mas será que percebemos a verdadeira função do sistema tátil? Graças ao sistema tátil conseguimos encontrar uma carteira dentro de uma mochila sem olhar para dentro dela. Ou conseguimos distinguir uma espinha do resto do peixe, enquanto estamos a comer.

E os sistemas propriocetivo e vestibular? O que são? O sistema propriocetivo permite que sejamos capazes de descrever como está o nosso corpo, mesmo de olhos fechados, ou de ajeitar o cabelo, mesmo sem olhar para o espelho. Quando uma criança tem, por exemplo, dificuldade em levar um copo de água à boca, escrever ou desenhar pode ter uma disfunção a este nível.

O sistema vestibular, localizado no ouvido interno reage ao movimento da cabeça e à gravidade; dá-nos informação da nossa posição no espaço e mantém o campo visual estável. Graças a este sistema, a criança consegue, por exemplo, observar tudo o que se passa à sua volta não perdendo o equilíbrio.

Quando se torna um problema?

Quando a dificuldade em interpretar as sensações compromete o desempenho e a participação da criança em atividades do seu dia-a-dia, em casa, na escola e no recreio, estamos perante uma Disfunção de Integração Sensorial.

Sara Pereira
Terapeuta Ocupacional



Call Now Button