Dor nas costas: O que faço?

Dor nas costas: O que faço?

As dores nas costas são um problema muito frequente nas sociedades modernas, estimando-se que cerca de 75% da população venha a sofrer de pelo menos um episódio de dores nas costas (cervical, dorsal ou lombar) ao longo da vida. Estes episódios de dor poderão ter como consequência o aumento da procura dos serviços de saúde, o absentismo ao trabalho e a perda de qualidade de vida.

Mas quais são as possíveis causas das dores nas costas?

A dor, em qualquer que seja a parte do corpo, terá sempre várias causas possíveis. As más posturas que adquirimos ao longo da vida ou na nossa atividade laboral serão uma das principais causas. A mobilidade e liberdade de movimentos que a coluna permite fará sempre com que nos adaptemos às alterações da postura, mantendo a verticalidade que necessitamos para caminhar. No entanto, estas alterações de alinhamento farão com que as articulações entre as vértebras, bem como os músculos que as suportam sofram um stress extraordinário que, mantido ao longo do tempo, levará ao aparecimento de dor local ou à distância. A dor à distância terá origem na irritação do nervo que emerge da coluna e que fará com que a dor seja sentida ao longo do seu trajeto – como por ex. ocorre com a dor ciática que é sentida ao longo da perna até ao pé, sendo a origem na coluna lombar.

Outra das causas para a dor será um trauma direto sobre a coluna, resultante de um acidente, uma queda, um movimento brusco em que ficamos bloqueados ou até de levantar um peso na postura incorreta. Nesta situações os músculos e estruturas articulares sofrem uma sobrecarga e respondem com espasmo, bloqueio e consequente dor.

Uma outra causa da dor nas costas, desconhecida do público, é a importante relação entre vísceras e costas. A disfunção das vísceras, ou seja, dos órgãos internos, como por exemplo a inflamação do intestino, tem uma importante influência sobre a mobilidade e dor nas nossas vértebras. Esta relação pode ser explicada pela relação direta dos órgãos e da coluna através de ligamentos e fáscias que, se forem colocados em tensão por pequenas alterações na posição dos órgãos, provocam stress sobre as estruturas da coluna. A relação dos nervos da coluna com o seu órgão correspondente também explica esta influência. Da mesma forma que um nervo enerva um órgão, também as tensões nesse órgão vão ser conduzidas pelo nervo até à vertebra que lhe corresponde, causando sensibilidade e dor.

Todas estas causas podem surgir relacionadas. As alterações da postura ou da mobilidade visceral fragilizam a coluna e as suas estruturas, fazendo com que, quando fazemos um movimento que parece insignificante, a dor possa surgir e conduzir a incapacidade de movimento e função. Não devemos ainda desvalorizar as causas psicológicas que conduzem à dor. O stress transformado em tensão muscular torna a coluna menos móvel e reduz a sua adaptação aos movimentos diários, levando ao surgimento de dor e disfunção.

Então, quais as tratamentos possíveis para as dores nas costas?

A prevenção será sempre a melhor aposta. Apostar numa alimentação saudável, que facilite o adequado funcionamento das vísceras e na prática de exercício físico, que permita manter a saúde nos nossos músculos e ligamentos, serão sempre as melhores opções. Manter a saúde postural também é primordial. Praticar modalidades como Pilates e Yoga que têm especial atenção sobre a correta postura ajudará à saúde das suas costas.

Quando já existem alterações da postura, mesmo antes de haver qualquer sintoma de disfunção, será importante procurar a ajuda de um Fisioterapeuta. A Reeducação Postural Global (RPG) fará com que melhore a sua consciência da postura, corrija as alterações existentes e aprenda a manter uma postura mais saudável no seu dia-a-dia. Nos casos em que a dor já se manifestou é importante que procure a ajuda do seu Fisioterapeuta ou Osteopata. Ele vai ajudá-lo a identificar a causa da sua dor, tratar a dor e a origem do problema, bem como dar-lhe estratégias para prevenir o reaparecimento da dor através do controlo dos fatores de risco que possa apresentar. Em caso de dor será sempre importante procurar o profissional de saúde com brevidade para que a dor e as suas consequências sejam imediatamente controladas, prevenindo a disfunção e a perda de função e qualidade de vida.

Sofia Gaio

Fisioterapeuta

Clínica Fisio S. Brás